18 de jan. de 2022

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA DE ALIMENTOS REGENERA A PAISAGEM DO SÍTIO SÃO SEBASTIÃO EM NATIVIDADE DA SERRA - SP

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO SÍTIO SÃO SEBASTIÃO, NATIVIDADE DA SERRA - SP

Por: Juliano Hojah da Silva


  
 Figura 1. Produção do Sítio São Sebastião em Natividade da Serra - SP, Juliano Hojah Silva e filha.  Fonte: Juliano Hojah


Nome do sítio: Sítio São Sebastião (Figura 2), em atividade a mais de 30 anos, acessível nas redes sociais  como: @sitiodoaltodaserra

Localização: 23º26'56.1"S 45º20'41,5"O

https://goo.gl/maps/yjb8DkT6cnQNBBAN9

Figura 2. Localização do Sítio São Sebastião, em Natividade da Serra-SP. Fonte: Google Maps


Localização: Bairro Alto, Natividade da Serra, SP

Nomes dos produtores: Violeta Martínez Zepeda e Juliano Hojah da Silva

Ano da conversão/início da produção: compramos o sítio em 2019, mas já havia pomar formado.

Uso anterior: pasto, eucalipto e pomar

Uso atual: pasto, eucalipto, pomar, sistema agroflorestal (SAF) e horta biodiversa

Figura 3. Quintal agroflorestal entorno da moradia no Sítio São Sebastião, em Natividade da Serra-SP. Fonte: Juliano Hojah


Iniciativas com SAF: frutas nativas (cambuci, uvaia, grumixama, cabeludinha, juçara e goiaba) com exóticas (citrus, banana, abacate, uva e figo).

Atividades previstas para o ano de 2022: plantio de 2.500 árvores em SAF, dessas 1.000 serão de frutas nativas.

Figura 4. Controle ao ataque de fauna (pássaros) em área hortícola com espantalho e linha de CD pendurado no Sítio São Sebastião, em Natividade da Serra-SP. Fonte: Juliano Hojah


Vendemos PANC - plantas alimentícias não convencionais:

  • Peixinho R$3,00/maço
  • Catalonia R$4,00/maço
  • Almeirão roxo R$4,00/maço
  • Azedinha R$4,00/maço
  • Serralha R$4,00/maço
  • Ora-pro-nobis R$4,00/100g
  • Guaco R$4,00/100g
  • Capuchinha em flor R$5,00/caixinha
  • Boldo R$3,00/100g
  • Batata yacon R$8,00/kg
  • Banana vinagre R$4,00/kg

Todas saem bem pouco, mas como temos e manejamos colocamos na nossa lista semanal quando tem. Mas ajuda a formatar boas cestas.

 
Figura 5. Detalhe da produção de açafrão e araruta associada com abacaxi no Sítio São Sebastião, em Natividade da Serra-SP. Fonte: Juliano Hojah

O peixinho as vezes conseguimos mandar para a CSA, aí são 30 clientes x $5 (preço da unidade na CSA maço um pouco maior) = $150 de uma só vez

Contatos (visitas): 

(12) 99644-9944 WhatsApp (pela alta na infecção de covid estamos sem marcar visitas)

Fonte das informações: Juliano Hojah da Silva

Sítio São Sebastião (@sitiodoaltodaserra), Bairro Alto, Natividade da Serra,SP.


13 de jan. de 2022

Mutirões no Sítio Nossa Senhora Aparecida no assentamento Nova Esperança em São José dos Campos - SP visam consolidar a fruticultura agroflorestal

Figura 1. Banner de convite para o mutirão agroflorestal. Fonte: Luciano Reis.

O Sítio Nossa Senhora Aparecida está fazendo 10 anos de transição agroecológica. Neste período diversas mudanças ocorreram, tais como a conversão de pomares antigos para o manejo orgânico, inserção da produção de hortaliças nos moldes da agricultura sintrópica e expansão das áreas de sistemas agroflorestais (SAF) (Figura 2) para adequar a propriedade rural e dos sistemas produtivos no que tange ao aumento da biodiversidade e resiliência às mudanças climáticas, proteção de nascentes, corredor ecológico e aumento na quantidade de componentes arbóreos para contribuir na proteção da Reserva Legal.

Figura 2. Local do mutirão agroflorestal no Sítio Nossa Senhora Aparecida, Assentamento Nova Esperança, em São José dos Campos - SP. Fonte: Lucas Lacaz Ruiz / A13.

Atualmente a geração de renda do Sítio tem origem em cerca de 25 famílias de co-agricultores que integram a CSA Pindorama (CSA - Comunidade que Sustenta a Agricultura) (Figura 3). Estão à frente desse projeto o agroflorestor Luciano Reis, filho do Sr Gessi e da dona Ana, que implantaram os primeiros pomares de manga, citrus, café e outras culturas perenes. 

Figura 3. Logomarca da CSA Sítio Nossa Senhora Aparecida - Produção Agroecológica, Assentamento Nova Esperança, em São José dos Campos - SP. Fonte: Luciano Reis.

A origem de Luciano não é agrícola, mas quando ingressou no assentamento, após participar dos mutirões agroflorestais organizados pelos membros da Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba conheceu os SAF com a metodologia apreender fazendo e decidiu permanecer no assentamento para ajudar seus pais a estabelecerem metas e padrões para a transição agroflorestal, e de aprendiz passou a educador nos mutirões que coordena (Figura 4).

Figura 4. Mutirão agroflorestal no ano de 2019 no Sítio Nossa Senhora Aparecida, Assentamento Nova Esperança, em São José dos Campos - SP. Fonte: Lucas Lacaz Ruiz / A13.

Os mutirões que serão realizados entre janeiro e fevereiro de 2022 devem abranger áreas sensíveis com solo declivoso que sofreu os problemas da erosão e da queimada no ano de 2021. Luciano foi um dos camponeses que se dedicou a combater o incêndio e realizar o trabalho de rescaldo dos resíduos de madeira ainda em processo de carbonização na área da Reserva Legal do assentamento, vizinha do lote (Figura 5).

Figura 5. Luciano Reis em trabalho de rescaldo da vegetação da Reserva Legal do Assentamento Nova Esperança, em São José dos Campos - SP. Fonte: Lucas Lacaz Ruiz / A13.

Em pesquisa recente verifica-se que o Sítio Nossa Senhora Aparecida se destaca com outras seis propriedades locais para um aumento de 82,4 hectares de área com vegetação arbórea, em comparação com outras sete propriedades sem SAF do assentamento Nova Esperança, em São José dos Campos - SP (Figura 6). Essa estimativa é baseada na imagem NDVI (Índice de Vegetação por Diferença Normalizada) de apenas 07 (sete) propriedades com SAF comparadas a outras sete sem SAF (Guerreiro; Devide 2021). 

Figura 6. Mapa do Assentamento Nova Esperança, em São José dos Campos - SP. A imagem NDVI da imagem Sentinel destaca propriedades com e sem SAF. O Sítio Nossa Senhora Aparecida é o primeiro indicado na parte superior esquerda da imagem. Fonte: Silva, Devide 2021.

Assim, a implantação dos SAF também visa aumentar a recarga hídrica, pois deve combater o escorrimento superficial da água da chuva. Ao todo serão implantados 2,0 (dois) hectares de SAF em solo roçado que deve receber um preparo mínimo com tratorito (adquirido em parte com recursos de obtidos de campanha de doação) nos berços de plantio das espécies perenes, com ênfase em frutas e árvores nativas para poda e madeira de lei, além da associação com espécies exóticas como a citrus, amora, ameixa, bananeira e a batata inglesa, esta cultura será introduzida apenas nas áreas com maior aptidão, nas entrelinhas.

Figura 7. Recursos genéticos (adubos verdes) normalmente empregados no mutirão agroflorestal. Fonte: Lucas Lacaz Ruiz / A13.

A adubação será realizada com adubo orgânico e adubação verde de nabo forrageiro, feijão de porco, tefrósia e feijão guandu.

O sítio Nossa Senhora Aparecida conta como parceiros os atores que integram a 'Biblioteca Lúcio Reis' (São José dos Campos) e 'Adubamente'. Essa atividade conta com apoio do Instituto Auá, com projeto Semeando Economia Verde na Mata Atlântica, que visa plantar 50 mil mudas nativas com potencial econômico com a metodologia 'Pomares da Mata Atlântica' em municípios da bacia do Alto Vale do Rio Paraíba do Sul. O projeto coordenado por Pedro Kawamura e implantado com supervisão do técnico Thiago Mônaco tem o apoio da Fundação Banco do Brasil.

Figura 8. Confraternização antes do mutirão agroflorestal no ano de 2019 no Sítio Nossa Senhora Aparecida, Assentamento Nova Esperança, em São José dos Campos - SP. Fonte: Lucas Lacaz Ruiz / A13.

Recomendações: 
  • Agendamento prévio com Luciano.
  • Número limitado de inscritos
  • Só poderão participar pessoas com a vacinação completa
  • Uso de máscara obrigatório
  • Alimentação colaborativa
Figura 9. Traga sua ferramenta. Fonte: Lucas Lacaz Ruiz / A13.

Responsável pela postagem: Antonio C. P. Devide - Pesquisador científico - APTA Polo Regional Vale do Paraíba, Pindamonhangaba

Referências bibliográficas:

Silva, D.G.O.; Devide, A. C. P. Contribuições dos sistemas agroflorestais no índice de vegetação NDVI do Assentamento Nova Esperança I em São José dos Campos - SP. Anais... XII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais. ESALQ/USP: Piracicaba, 2021.