9 de ago. de 2022

COMO UMA REDE DE PESSOAS ESTÁ DISSEMINANDO SAFs PELO VALE DO PARAÍBA

 Por Antonio Carlos Pries Devide, Patricia Lopes, Leandro Braz, Thales Ferreira, Mariana Oliveira e Marina Campos


Os Sistemas Agroflorestais (SAFs) são uma estratégia de uso do solo que apresenta um benefício duplo: ao mesmo tempo que produzem alimentos e produtos florestais madeireiros e não-madeireiros, gerando renda no campo, restauram florestas e paisagens, gerando benefícios ambientais,

Uma paisagem brasileira que está vivenciando o processo de implementação e disseminação dos SAFs é o Vale do Paraíba Paulista. Nessa região, agricultores e agricultoras se organizaram por meio de uma rede para promover uma agricultura regenerativa e agroecológica, a Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba.

Nesta semana a Rede Agroflorestal está publicando, com apoio do WRI Brasil e da TNC Brasil, um Plano de Ação, com estratégias para acelerar e dar escala aos esforços para implementação sistemas agroflorestais e a comercialização dos produtos gerados. No plano, a Rede traça objetivos para expandir os SAFs na região com a ambição de restaurar até 80 mil hectares hoje degradados.

https://bit.ly/rede-agroflorestal


Oportunidades no Vale do Paraíba Paulista

O Vale do Paraíba tem as condições e motivações necessárias para ver o crescimento de um grande movimento pela restauração de paisagens e florestas e implantação de modelos agroflorestais.

O Vale sofreu com degradação histórica do solo e há grandes áreas que podem ser restauradas. A região está no eixo de ligação entre as regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro e, portanto, está em uma localização ideal para garantir aos produtores o acesso a grandes mercados consumidores.

A aplicação da Metodologia ROAM no Vale do Paraíba quantificou essa oportunidade e mostrou que há uma importante vocação agroflorestal na paisagem. As análises identificaram um passivo de 70 mil hectares de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e 10 mil hectares de Reserva Legal (RL). Alguns modelos de SAFs que não envolvem poda ou corte poderiam ser aplicados nessas áreas. O estudo, publicado pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente com apoio do WRI Brasil em 2017, também identificou as motivações, sendo a geração de renda uma das mais relevantes. E mostrou que a restauração de paisagens e florestas na bacia pode resultar numa melhora de 32% do PIB agropecuário na região.

Atores engajados multiplicam os SAFs

É na tentativa de explorar a vocação da paisagem que a Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba surgiu. Ela foi criada entre os anos de 2011 e 2012, a partir de experiências e trocas de informações de agricultores familiares e produtores rurais locais interessados na agroecologia.

A Rede Agroflorestal organizou mutirões para implantação de SAFs, promoveu capacitações e trocas de experiências, e possibilitou a articulação entre os as pessoas. Em 2021, a Rede foi formalizada como uma associação sem fins lucrativos para a promoção da agroecologia.

Esse engajamento dos agricultores locais é fundamental para garantir o sucesso dos Sistemas Agroflorestais na paisagem. Desde que foi fundada, a Rede já mobilizou mais de 50 mutirões de implantação de SAFs, evolvendo a participação de mais de mil produtores rurais e 66 instituições diferentes (Tabela 1). Nesses mutirões, a troca de informações é grande, e os produtores e produtoras aprendem na prática – um conhecimento que podem levar porteira adentro, para produzir em suas próprias áreas.

Tabela 1. Levantamento dos Registros da Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba

Já foram implantados por meio da Rede cerca de 70 Sistemas Agroflorestais, sendo a maior parte deles em São José dos Campos (17 SAFs), Lagoinha (15), Tremembé (14) e Pindamonhangaba (4), mas há produtores plantando agroflorestas em outros 15 municípios da região.

Um dos SAFs existentes na região, da Fazenda Coruputuba, foi destacado na websérie As Caras da Restauração, produzida pelo WRI Brasil. Conheça essa história no vídeo abaixo.

https://wribrasil.org.br/ascarasdarestauracao/patrick-assumpcao-agrofloresta-vale-do-paraiba

Estratégias para disseminar SAFs pelo Vale

O importante envolvimento de agricultores e agricultoras e os muitos mutirões agroflorestais promovidos pela Rede fazem do Vale do Paraíba uma paisagem chave na restauração de paisagens e na agroecologia. Porém, mesmo com esse envolvimento os números ainda são modestos perto da ambição necessária de restauração no país. Afinal, o Brasil todo tem como meta restaurar mais de 12 milhões de hectares, e o estado de São Paulo, 300 mil hectares. Como o Vale do Paraíba pode contribuir para esses compromissos?

É aí que entra o Plano de Ação. O documento define seis estratégias principais, que passam por tópicos importantes, como governança, capacitação e acesso a mercados:

1. Fortalecer a governança da Rede Agroflorestal e Plano de Ação

2. Fomentar ações de disseminação dos sistemas agroflorestais para restaurar a paisagem regional

3. Promover mutirões agroflorestais no Vale do Paraíba

4. Promover a capacitação e o ensino formal sobre sistemas agroflorestais

5. Fortalecer o trabalho dos coletores de sementes florestais e dos produtores de mudas e sementes

6. Apoiar a estruturação da comercialização da produção agroflorestal

O plano também apresenta sugestões de diferentes tipos de SAFs a serem implementados de acordo com os interesses de cada agricultor. Há desde os Quintais Agroflorestais, formados ao redor da moradia com arranjos voltados para espécies alimentícias, condimentares e árvores para fins de segurança alimentar até sistemas silvipastoris, que mesclam a criação de animais.

Com oportunidades e motivações identificadas, articulação local e um plano coeso o Vale do Paraíba pode se transformar em um grande polo de SAFs do país. O WRI Brasil acredita nesse potencial e atua, por meio de projetos como e, Pró-Restaura e o Cities4Forests, para apoiar os produtores locais a destravar os potenciais, acelerando e dando escala à restauração de paisagens e florestas.

Autores: Antonio Carlos Pries Devide é pesquisador científico da APTA Vale do Paraíba, Patrícia Lopes é fundadora da empresa Soul da Terra, Leandro Braz Camillo é técnico do projeto Conexão Mata Atlântica e Thales Guedes Ferreira é produtor rural no Sítio dos Ipês em Cachoeira Paulista, ambos são membros da Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba e lideraram a elaboração do Plano de Ação. Marina Campos é Especialista em Restauração Florestal na TNC Brasil. Mariana Oliveira é Especialista em Restauração Florestal na WRI Brasil.


Referências bibliográficas

COUTINHO TR, DEVIDE ACP, ABDO MTVN. Paraíba River Basin Agroforestry network: teaching methodology, participatory research and rural extension in Agroecology promotion. EURAF, Nuoro. 2021. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Veja como foi a apresentação do Plano de Ação da Rede Agroflorestal

Data: 8 agosto de 2022, das 18h-19:50h

Programação:

  • Abertura do Conselho Deliberativo da Rede Agroflorestal por Antonio Devide
  • A palavra de Mariana Oliveira representando a WRI e apoiadores do Plano de Ação
  • Apresentação dos principais resultados do Plano de Ação por Patrícia Lopes 
  • Debate de ideias e caminhos futuros com todos os participantes

A apresentação do Plano de Ação foi disponibilizada na íntegra no whatsapp da Rede Agroflorestal.


Patrícia Lopes apresentou a metodologia e os resultados do Plano de Ação.

A palavra aberta aos 16 participantes do lançamento do Plano de Ação.








8 de ago. de 2022

LANÇAMENTO DO PLANO DE AÇÃO DA REDE AGROFLORESTAL

O lançamento do Plano de Ação da Rede Agroflorestal do Vale do Paraíba ocorrerá em reunião virtual com acesso pela plataforma Zoom, no dia 8 de agosto (2ª feira) das 18h às 19:30h.

Poderão participar os membros, simpatizantes e defensores das agroflorestas, da agroecologia, da agricultura familiar, da reforma agrária, da restauração ecológica e de todos os assuntos correlacionados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). 

Programação:

  • Abertura oficial do Conselho Deliberativo da Rede Agroflorestal
  • A palavra de Mariana Oliveira representando a WRI e os demais apoiadores do Plano de Ação
  • Apresentação dos principais resultados do Plano de Ação por Patrícia Lopes 
  • Debate de ideias e caminhos futuros com todos os participantes

Topic: Rede Agroflorestal Vale do Paraiba

Time: Aug 8, 2022 18:00 Sao Paulo

Join Zoom Meeting

https://wri.zoom.us/j/93655341605

11 de jul. de 2022

II Formação em CSA no Vale do Paraíba CSA - Comunidade que Sustenta a Agricultura

 "Da cultura do preço para a cultura do Apreço"


A CSA Brasil e o coletivo de CSAs do Vale do Paraíba, tem o prazer de convidar para o II Curso de Formação em CSA. 

Tendo como base os princípios que norteiam essas Comunidades, vamos trabalhar nestes 4 dias os caminhos para se estruturar uma Comunidade que Sustenta a Agricultura. 

O curso começa no dia 28 de julho às 09h e termina no dia 31 de julho às 14h

A coordenação será de Claudia Vivacqua e Wagner Santos, com a participação da Nutricionista Valéria Paschoal e da Eng. Agrônoma Luciana Gomes e apoio das CSAs da Região. 

Contribuição financeira: R$ 300,00 e pedimos a doação de alimento para as refeições do curso.

Hospedagem: Possibilidade de hospedagem solidária e de camping (informar as demandas na inscrição)

Endereço: Sítio Ecológico, Assentamento Nova Esperança I em São José dos Campos

Por favor preencha a ficha de inscrição abaixo:

https://forms.gle/3PsmMCrswj14Mt6k9